Fimec 29 de JUNHO DE 2017

Brasil recebe compradores de tecnologia para couro e calçados


Nesta quarta-feira (28), foram realizadas, no auditório da Fenac, em Novo Hamburgo, rodadas de negócios entre calçadistas e curtidores sul-americanos e fornecedores brasileiros de tecnologia para estes setores, em atividade do Centro de Promoção de Negócios Internacionais (CPNI), que se desenvolve ao longo desta semana. A ação, que tem a participação de seis empresários calçadistas da Argentina e três do setor coureiro (um do Paraguai, um da Bolívia e um da Argentina), integra o projeto Brazilian Machinery, em uma parceria da Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas para Couro e Calçados (Abrameq) com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal).

Nicanor Otamendi, da empresa Vaguitas, localizada em Córdoba (Argentina) e fabricante de calçados femininos para atender ao mercado interno, observa que sua empresa é tradicional em seu país, produzindo desde os anos 70. Ressalta que a indústria calçadista está saindo de um momento difícil, em que se deslumbra o ressurgimento do consumo em seu país, combinado com uma redução de entrada de sapatos chineses. “Neste momento, vemos o Brasil como um importante fornecedor de insumos e principalmente de tecnologia, setor que tem evoluído muito, com destaque para a área de controles, reduzindo consumo de insumos e aumentando a produtividade”, afirma. Adiciona ainda que as indústrias calçadistas também encontram no Brasil máquinas adequadas a uma produção menor, “o que tem sido uma escolha de empresas argentinas”.

O potencial da indústria calçadista da Argentina para a compra de tecnologia brasileira é identificado por Luis Augusto de Castro Amaro, da Máquinas Kehl. “Este país tem tradição na fabricação de calçados e, em razão das dificuldades de sua economia, foi obrigado a reduzir investimentos em novas tecnologias”, enfatiza Amaro. Acrescenta que “o quadro econômico da Argentina apresenta sinais de melhora e isto deverá fazer com que a indústria calçadista deste país busque atualização tecnológica e nós somos parceiros importantes neste processo, principalmente porque estamos próximos, o que facilita o assessoramento pós-venda”.
 
Couro – Hugo Ayala Villalba é dirigente da indústria do couro Lecom, uma das mais importantes do Paraguai. Localizada perto de Assunção, sua empresa é uma das poucas que faz acabamento do couro em seu país. Porém, ele acredita que este é um segmento que deverá crescer bastante. “Em um primeiro momento, a partir do aumento considerável de abates bovinos, houve o desenvolvimento de empresas curtidoras nos primeiros estágios de produção, mas a tendência é que também ocorram investimentos significativos nas fases seguintes”, afirma Villalba.
Neste sentido, ele antecipa a procura de tecnologia brasileira para as empresas paraguaias. “Temos tradição de negócios com o Brasil”, destaca. A procura maior, segundo o empresário paraguaio, é sistemas de controles que reduzam o desperdício de insumos.
A 7Way, consórcio das empresas brasileiras Luvison, Master, Axi e Kunden, participa do CPNI, com oferta de tecnologias para o setor coureiro. Julio Waikamp, um dos representantes do consórcio, sublinha que o setor coureiro da América Latina está em um momento de forte transformação, que deverá resultar em bons investimentos em tecnologia, especialmente na busca de redução de custos, que é uma área em que os fornecedores brasileiros estão bastante focados. Neste sentido, destaca as áreas de automação e tratamento de efluentes. Acrescenta que há um olhar para a indústria 4.0, cujo desenvolvimento será cada vez mais decisivo para o sucesso das empresas deste setor. 

A Abrameq é uma das apoiadoras da Fimec e a cada edição do evento, movimenta a feira com visitantes e expositores da área de máquinas. 

Conteúdo: Divulgação/Abrameq


COMPARTILHAR:
OUTRAS NOTÍCIAS
Reparasul anuncia nova data para atender melhor o setor
Feira profissional acontecerá de 16 a 19 de novembro, na Fenac, em Novo Hamburgo/RS
Fenac se reafirma como espaço para eventos sociais e corporativos de diferentes portes
Empresa promoveu café da manhã para profissionais do setor, apresentando infraestrutura disponível para locação
Feipet apresenta tendências do mercado veterinário
No final de maio, feira profissional reuniu os mercados PET E VET, em Novo Hamburgo/RS
Feipet encerra com bons negócios em Novo Hamburgo
Durante três dias, feira do mercado PET e VET reuniu profissionais na Fenac
Vet 360 traz palestra gratuitas para veterinários e profissionais do setor
Atração faz parte da programação da Feipet, que acontece até amanhã (31), na Fenac, em Novo Hamburgo
Feipet apresenta novidades do universo PET e VET em Novo Hamburgo
Feira profissional segue até terça-feira (31), na Fenac
NEWSLETTER

As experiências que
acontecem na Fenac, agora,
na sua caixa de e-mail.

Cadastre seu e-mail e conecte-se com a gente.